Central dos Sindicatos Brasileiros

Centrais entregam ao presidente da Câmara propostas para crescimento do emprego

Centrais entregam ao presidente da Câmara propostas para crescimento do emprego

Parlamentares que participaram do encontro sugeriram a criação de comissão para discutir as proposições com as entidades

Nesta terça-feira (12), as centrais sindicais apresentaram ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (MDB-RJ), um documento com propostas para aceleração do crescimento de postos de trabalho no Brasil. Realizado na residência oficial do parlamentar, o encontro também teve a participação de líderes de partidos e confederações de trabalhadores e de patrões.

O documento frisa a necessidade de programas e ações imediatas para enfrentar o desemprego e o subemprego crescentes, como criação de frentes de trabalho como medida emergencial, com atenção especial para os jovens; retomada de obras de infraestrutura; e planejamento de políticas de amparo aos desempregados, como aumento das parcelas do seguro-desemprego, vale-transporte para o desempregado, vale-gás, subsídio de energia elétrica, entre outros.

De acordo com o vice-presidente da CSB e presidente do Sindicato dos Agentes de Atividades Penitenciárias do Distrito Federal (SINDPEN-DF), Leandro Allan Vieira, as centrais pediram a Maia medida efetiva para crise enfrentada no Brasil. “Estão tentando colocar remendos em feridas que têm que ser curadas. [Temos] que começar a discutir uma política pública de longo prazo porque os trabalhadores não aguentam mais pagar a conta da irresponsabilidade governamental”.

O presidente da Câmara dos Deputados e os líderes dos partidos ouviram os pronunciamentos dos dirigentes e afirmaram que será criada uma comissão para discussão das propostas com as entidades.

Reforma trabalhista

Durante a reunião, a CSB ressaltou a indignação com a ruptura de diálogo por parte do governo na tramitação da nova lei trabalhista. Vieira reforçou que, sem consultar as entidades e os trabalhadores, o governo “implementou todas as suas vontades na reforma trabalhista e queria fazer o mesmo na reforma da Previdência”.

Compartilhe!