Central dos Sindicatos Brasileiros

Em congresso de servidores do Judiciário no RS, Antonio Neto fala sobre os atuais desafios do movimento sindical

Em congresso de servidores do Judiciário no RS, Antonio Neto fala sobre os atuais desafios do movimento sindical

Para o presidente da CSB, é essencial que o movimento sindical se organize para impedir retrocessos nos direitos

O presidente da Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), Antonio Neto, participou na noite desta quarta-feira (13) da abertura oficial da sexta edição do Congresso Estadual dos Servidores do Judiciário do Rio Grande do Sul (CONSEJU- RS), que acontece até sexta-feira (15), na cidade de Caxias do Sul, 120 km da capital Porto Alegre.

Em sua palestra de abertura do evento, Neto falou sobre os atuais desafios que o movimento sindical deve enfrentar para continuar na luta pelo seu maior patrimônio, o trabalhador. O presidente da Central também citou a transferência da votação da reforma da Previdência para 2018 como um indício de que a luta ainda é o melhor caminho para a defesa dos interesses dos trabalhadores.

“No dia que o governo jogou a toalha na votação da “deforma” da Previdência, uma vitória para os trabalhadores brasileiros, tenho a honra de proferir esta palestra, que aborda os desafios do presente e do futuro para o movimento sindical, tema importantíssimos para o momento desafiador pelo qual passamos. Só há um caminho para a vitória: a luta, luta e mais luta”, declarou Neto.

Ainda durante o evento, que foi organizado pelo Sindicato dos Servidores da Justiça do Rio Grande do Sul (Sindjus-RS), Neto garante que diante da falta de comprometimento dos parlamentares, o enfretamento é o melhor caminho.

“Não podemos permitir este tipo de canalhice e nem que esses corruptos continuem fazendo o que estão fazendo. Nós temos que nos indignar e nos organizar para impedir. Na reforma trabalhista o Senado prevarica e não legisla, eles chegaram à conclusão que esta Lei tem uma série de inconsistências e muitos erros, como, por exemplo, permitir que uma grávida trabalhe em ambiente insalubre”, disse o presidente da CSB.

Perspectivas e futuro

Preparada desde o anúncio das medidas, ainda como projetos, a CSB sempre esteve à frente do movimento, seja nas mobilizações de rua, no Congresso Nacional, no Executivo ou de maneira estratégica na preparação de seus dirigentes, com capacitação jurídica, técnica e política, iniciativa que vai ao encontro de seus ideais pautados no trabalhismo e no fortalecimento dos sindicatos.

Para a reforma trabalhista, a Central organizou ao redor do País seminários jurídicos, nos quais especialistas orientaram advogados de sindicatos filiados à CSB no enfrentamento às novas regras e as estratégias de aplicação da Lei. Para a Central, as reformas não são motivo para enfraquecer a representação dos trabalhadores, e sim um incentivo para ampliar suas bases, aumentar e fortalecer os quadros, além de preparar cada vez mais seus dirigentes para os embates.

“É esta a perspectiva que temos para o movimento sindical. Um futuro com muita luta, muita mobilização. É isso o que nos move, é o desejo de evitar que uma elite perversa destrua as conquistas dos trabalhadores. Vamos continuar lutando por igualdade, trabalho digno para o povo e justiça social”, concluiu Antonio Neto.

Nestes três dias de evento, o Conseju ainda vai abordar temas como Atuação Sindical no Trabalho Público frente a atual política de minimização do estado, Direito e Tecnologia – Inteligência Artificial e os Impactos Sociais, Teletrabalho X Jornada de Trabalho – Aspectos no Momento Sindical, Assédio Moral, Pesquisa de Saúde e Propostas de Melhorias, além de mostrar um documentário sobre o teletrabalho na Justiça Federal.

Compartilhe!