Central dos Sindicatos Brasileiros

Centrais pedem ao presidente da Câmara adiamento da votação da reforma previdenciária

Centrais pedem ao presidente da Câmara adiamento da votação da reforma previdenciária

Entidades se reuniram com Rodrigo Maia e afirmaram que a proposta deve ser analisada e debatida pela sociedade

As seis centrais sindicais reuniram-se nesta quarta-feira (29) com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, para pedir que a reforma da Previdência não seja votada neste ano. As entidades entendem que a matéria precisa ser discutida por todos os setores da sociedade.

Em discurso, o vice-presidente da CSB Flávio Werneck afirmou que “o adiamento para um diálogo, um debate, seria muito interessante, muito salutar”. Para ele, é urgente a necessidade de “um estudo aprofundado e embasado tecnicamente para a pauta, que precisa de mais tempo”.

Segundo o diretor do Sindicato dos Taxistas do Estado do Ceará (SINDITAX I/CE) e também vice-presidente da CSB, Francisco Albuquerque Moura, “a reforma é ruim porque retira direitos históricos do trabalhador, principalmente quando se fala da questão da aposentadoria. O governo quer entregar o regime previdenciário brasileiro para os bancos e as seguradoras”, analisou.

Em resposta, Rodrigo Maia afirmou que considera a reforma necessária e que será votada se houver a possibilidade. O presidente disse que, se o projeto não for apreciado no dia 6 de dezembro, abrirá espaço de debate.

O presidente da Seccional Minas Gerais da CSB, Cosme Nogueira, lembrou da importância da mobilização das centrais marcada para dia 5. “Esse grande enfrentamento vai pressionar os deputados a votarem contra a reforma”, pontuou.

Também estavam presentes a taxista e delegada do Sindicato dos Taxistas do Distrito Federal, Márcia Ferraz, e o presidente do SINDITAXI/CE e vice-presidente da CSB Ceará, Vicente de Paula Oliveira.

Compartilhe!