Central dos Sindicatos Brasileiros

Apoiada pela CSB, Chapa 2 vence eleições no Sindicato dos Servidores de Santa Fé de Goiás

Apoiada pela CSB, Chapa 2 vence eleições no Sindicato dos Servidores de Santa Fé de Goiás

Nova diretoria ficará à frente da entidade por cinco anos, a partir de 2018

Em eleições realizadas no último sábado (25), na sede do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Santa Fé de Goiás, cidade a 266 km da capital do estado, a chapa 2, apoiada pela Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), venceu o pleito com 91 votos, contra 80 votos da Chapa 1, 18 votos da Chapa 3 e outros 3 votos nulos ou brancos, totalizando 192 votos válidos.

Liderada pela servidora Veronica Messias, a nova diretoria assume um mandado de cinco anos no primeiro dia de 2018. Com a prioridade de reivindicar o plano de cargo e carreira para os servidores, a nova presidente aprovou o apoio da Central na realização da eleição.

“A participação deles foi excelente e trataram todas as pessoas muito bem. Eles explicaram para os candidatos como funcionava a eleição, passaram todas as regras e também orientaram os trabalhadores que votaram”, disse a nova presidente do sindicato, que representa cerca de 202 servidores no município.

Para o presidente da Seccional Goiás da CSB, Sando Jadir, a vitória foi conquistada pelo compromisso com os trabalhadores, e o mandato será com boa gestão. “Esse resultado mostra o comprometimento da Chapa 2 com o verdadeiro movimento sindical e com os servidores públicos do município de Santa Fé de Goiás.  Não tenho dúvidas de que será uma gestão profícua e terá todo nosso respaldo e apoio”, declarou Jadir.

O 2º secretário de Organização e Mobilização da Seccional Goiás, Luciano Gomes dos Santos, participou efetivamente na organização da eleição. Ele acredita que essa vitória fortalece a luta pelos trabalhadores no estado.

“É um sindicato a mais que vem para somar com a base da CSB no estado. A participação da Central foi importante para a entidade em tempos  em que o governo vem massacrando os trabalhadores. Este apoio motiva os sindicalistas em estar atuando cada vez mais. Isso sem contar a ajuda em locomoção e apoio. Sem esse tipo de ajuda, fica difícil para os sindicatos de Goiás”, finalizou o dirigente.

Compartilhe!