Central dos Sindicatos Brasileiros

Ronaldo Fleury é reconduzido ao cargo de procurador-geral do Trabalho

Ronaldo Fleury é reconduzido ao cargo de procurador-geral do Trabalho

Com a presença do secretário-geral da CSB, a cerimônia foi realizada nesta terça-feira (3), na Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT)

A procuradora-geral da República, Raquel Elias Ferreira Dodge, reconduziu Ronaldo Curado Fleury ao cargo de procurador-geral do Trabalho para o biênio 2017-2019. A cerimônia de posse foi realizada nesta terça-feira (3), na Procuradoria-Geral do Trabalho (PGT). A CSB foi representada pelo secretário-geral, Alvaro Egea.

O procurador reafirmou o compromisso com os direitos fundamentais do trabalho e da organização sindical. O secretário da CSB destacou o pronunciamento “corajoso de Fleury na defesa das ações que o MPT vem realizando no estado do Rio Grande do Norte para combater a terceirização e a precarização promovida pelo empresário Fábio Rocha, presidente da corporação Riachuelo”, afirmou.

“Nós tomamos conhecimento que esse empresário moveu uma ação de difamação contra uma procuradora que está promovendo uma ação de fiscalização protegendo quatro mil trabalhadores que estão sem registro e trabalhando em condições precárias de terceirização de mão de obra no estado do Rio Grande do Norte. Então, o procurador foi muito firme e prestou todo o apoio e toda solidariedade a essa procuradora”, explicou Egea.

Em discurso, Fleury afirmou que não impressiona a reação conservadora nem o método covarde de ter escolhido uma mulher para destilar a fúria. “Apenas nos impressiona que seja dado tanto espaço em páginas no horário nobre para veiculação dessa ação criminosa, que assim está sendo travada pelo Ministério Público do Trabalho brasileiro como crime que foi. Esse ataque covarde, seletivo e discriminatório também atinge a causa dos direitos humanos”, frisou o procurador.

Na avaliação de Egea, a retirada de direitos será duramente combatida. “Nós, trabalhadores, podemos ficar cientes e otimistas que as centrais sindicais e o MPT vão ter uma parceria muito produtiva no sentido de enfrentar essa legislação, que não vai tirar direito de trabalhador porque nós vamos enfrentá-la”, concluiu.

Compartilhe!