Central dos Sindicatos Brasileiros

1ª jornada do SINFA/MA passa pela cidade de Viana

1ª jornada do SINFA/MA passa pela cidade de Viana

Encontro, que deve passar por 18 regiões do Maranhão, tem o objetivo de fortalecer a base nas lutas sindicais

A primeira edição da Jornada do Sindicato dos Servidores da Fiscalização Agropecuária do Estado do Maranhão (SINFA/MA) passou, no último sábado (29), pela cidade de Viana, 220 km da capital São Luís.

A regional da entidade atende 13 municípios do estado e fez por meio da dinâmica participativa um debate com a base sobre o movimento sindical. Nesses encontros, os servidores filiados entendem o que é um sindicato, como funciona a estrutura sindical, as centrais e federações, Além de entender o que é um estatuto, como ele funciona, como se dão as relações de negociação, como funciona as assembleias, como é feita as mobilizações e articulações na base.

Segundo o presidente do SINFA/MA, Saraiva Junior, antes de receber a jornada, as regionais participam de reunião nas quais são discutidas a atual conjuntura brasileira, como a reforma trabalhista e o teto de gastos públicos, representado pela Emenda Constitucional 95. A conjuntura estadual, em especial o problema da falta dos concursos públicos, também faz parte da pauta.

“Durante essas reuniões falamos do impacto da reforma trabalhista e como o teto de gastos tem influência nas contas públicas. Na pauta estadual falamos da boa situação que o estado do Maranhão está passando, ao contrário de outros estados. E mesmo assim, o governador ignora os servidores no diálogo para poder dar o reajuste anual, além de não fazer concursos públicos. Temos uma deficiência de concurso muito grande, e esse foi um dos pontos da greve que fizemos, de 36 dias, em 2016. Existem estudos determinando onde tem necessidade de servidores.  O estado anuncia o concurso e acaba não fazendo”, disse o presidente, que garante que esses eventos preparam a base para um embate mais qualificado nos pleitos sindicais e desmistificam alguns temas.

“Neste trabalho que vem sendo feito, nossa ideia é que a gente saia com a base fortalecida, mais consciente da luta e que a gente venha para um embate com mais qualidade. Porque entendendo os motivos da luta, a nossa perspectiva é que as pessoas venham com mais força”, completou.

A base da entidade, que conta com mais de 315 trabalhadores, tem conhecido o nome da CSB, pois durante a jornada é explicado o perfil da Central e os motivos que levaram o sindicato a se filiar à Entidade.

Com um total de 18 encontros, a jornada deve passar por todas as regionais até o final de setembro.

As próximas reuniões estão marcadas para as regionais de Rosário, São Luís e Pedreira e previstas para serem realizadas nas duas semanas seguintes.

Compartilhe!